terça-feira, 30 de agosto de 2011

17 semanas e a 'benção' de se ter um casal

Estou com 17 semanas e já ando ansiosa pra tudo correr rápido, a barriga ficar estourando de enorme, chegar o verão e eu entrar de férias. Algumas vezes, quando deito de barriga pra cima, sinto um montinho de um lado da barriga e uns movimentos tímidos. É ele. Ontem, mostrei para o papai e ele ficou todo bobo. Toda hora ele olha pra mim e diz: "Pontinha (eu) está carregando o Ian, é?" Todo orgulhoso.
Sobre a ansiedade, tenho passado dias melhores. Já percebi que quando me vejo na incubência de realizar várias tarefas e obrigações, eu fico ansiosa, angustiada. Mesmo com os dias melhore s, já marquei psiquiatra e psicólogo. Não custa tratar. Quer dizer, custa caaaaro, pois psicólogo não tem no meu plano e psiquiatra, só consegui particular, pois os do plano só tem vaga para daqui a dois, três meses.
Eu ouço muito das pessoas que eu sou abençoada por ter um casal. As pessoas recebem com alegria a vinda de um menino. Mas, eu realmente não vejo diferença ter um casal ou dois do mesmo sexo. Um dia desses, ouvi uma pessoa falando para uma mãe que está grávida de um menino e já tem um menino: "Outro menino!" Como se a mãe fosse responsável por isso.
Antonio já determinou que o irmão vai tomar conta da irmã. Pode isso?
Acho lindo mães e pais de dois meninos ou duas meninas, assim como de um casal. O mais importante é ter sabedoria para criá-los.

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Noticias e agradecimentos

Minha mãe esteve conversando com um psiquiatra sobre o meu caso e, segundo ele, essa ansiedade tem que ser tratada, pois é perigoso na gravidez. Já providenciei consultas com psiquiatra e psicologo. Tem dois dias que me sinto menos pior. O que me deixa mais desesperada é eu não conseguir controlar essa sensação e saber que isso pode fazer mal para o meu bebê. Depois das consultas, trarei notícias.

Quero agradecer ao enorme carinho de todas vocês: Camila, Debora, Aline, Lorena. Cada palavra escrita por vocês foi muito importante pra mim. Lo, vou te ligar qualquer dia desses, estou preocupada com você.

terça-feira, 23 de agosto de 2011

16 semanas


Esta aí uma foto da barriguinha (barriguinha????) de 16 semanas. Vou tomar jeito e tirar muitas fotos da barriga.
Tenho passado dias difícieis. Não tem nada a ver com a gravidez, com a familia, com o trabalho, com nada ou, com tudo. Continuo com a crise de ansiedade. É uma sensação horrível, uma angustia, vontade de chorar.Amanhã, vou procurar um terapeuta, talvez um psiquiatra também. O que eu não posso é continuar assim, essa ansiedade faz mal para o bebê, me impede de trabalhar, de cuidar da Ana.

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

É menino!

Hoje, fui na clínica que trabalha minha amiga para fazer uma ultra só pra confirmar o sexo do bebê. Como amanhã tem Feira no Riocentro, queria já adiantar algumas comprinhas. De cara, o menino se mostrou todo, ele abriu as pernas, se virou, abriu as pernas de novo, como quem diz: "Mãe, eu sou homem mesmo". Eu ainda questionei se não havia a possibilidade de ser o cordão umbilical, mas o próprio Ian fez o favor de mostrar que não. Eu fiquei feliz de confirmar. Pra mim, se fosse outra menina, ficaria feliz da mesma forma. Não faz diferença nenhuma pra mim. Agora, páro pra pensar e acho estranho que serei mãe de menino.
Uma sensação que tenho nessa gestação é o amor sólido que já sinto por ele. Não que não amasse a Ana na minha barriga, mas como era meu primeiro bebê, eu não tinha noção do que era ser mãe, ter alguém como filho na prática. Então, o bebê ficava no plano das idéias. Agora não, já tenho noção de como será ter outro filho. Há pouco tempo, ouvi uma apresentadora de TV dizendo que quando se tem dois (ou mais) filhos o amor se multiplica. E é exatamente o que sinto, não deixo de amar a Ana e nem amo menos o bebê. São amores iguais e me sinto feliz por isso.

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Mamãe chorona

Essa gravidez está sendo marcada pelo chororô. Nunca chorei tanto. Choro por tudo e por todos.
No domingo, no almoço do dia dos pais, enquanto todos conversavam na mesa, eu comecei a sentir uma ansiedade, como se algo fosse acontecer de repente, como se o coração fosse sair pela boca. A sensação ficou a tarde e a noite. No dia seguinte, fui trabalhar, a sensação tinha passado. Na metade do segundo tempo em uma turma, comecei a ter essa sensação de novo e uma vontade incontrolável de chorar. Tentei disfarçar, mas os alunos perceberam e eu desabei. Larguei a turma e liguei para o meu pai pra me buscar. Fiquei preocupada com isso, porque nunca tinha sentido algo desse jeito. Liguei para o GO e antecipei a consulta.
Ele me encaminhou para um cardiologista, porque disse que nenhuma possibilidade pode ser descartada na gravidez. Examinou meu coração e minha pressão e percebeu que as batidas estavam inconstantes. Enquanto ele me examinava, eu desabei a chorar. Ai que vergonha!
Ele disse que provavelmente é ansiedade, mas me orientou a fazer um ecocardiograma, e me passou um calmante natural. Conversou muito comigo, das grandes mudanças que eu estou e vou passar, de ter um bebezão e estar grávida de novo. Além disso, a mudança de casa e a volta integral ao trabalho são muitas coisas (boas) que mexeram com o meu emocional.
Essa semana vou fazer uma ultra pra confirmar o sexo do bebê, espero que consiga ver direitinho.
Estou pensando em arrumar um tempo para fazer terapia, eu realmente preciso. Não só para encarar a minha nova vida familiar, mas também profissional. É muito duro ficar um ano em casa e ter que voltar ao trabalho, parece que comecei a carreira agora.
Quando confirmar o sexo, venho comentar aqui para minha 1 1/2 leitora.

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

14 semanas

Pois é, ando muito sumida. Até deixei de escrever sobre as 13 semanas. Então, vou fazer um resumão dessas duas semanas.
Parece mentira, mas já entrei no segundo trimestre. Eu tinha esquecido de como se conta essa coisa de semanas e meses. Na minha contagem, estou com 3 meses e duas semanas. Mas na verdade, estou na contagem dos 4 meses. Contando assim, dá certinho a DPP (data prevista para o parto). Outra coisa, acho que o bebê deve nascer no finalzinho de janeiro ou nos primeiros dias de fevereiro.
A minha barriga está enorme, mas tem mais de gordura do que bebê. Mas eu não consigo encolhê-la...hehehe
Fiz uma ultra no dia 9 e, graças a Deus, não tem hematoma nenhum e o bebê está ótimo. Só não confirmei o sexo, não tive coragem de perguntar ao médico.
Os enjoos estão indo embora, mas de vez em quando, me sinto um mal estar. Já senti as contrações de BH e a impressão de sentir o bebê mexer, mas tenho vergonha de falar por aí porque vão pensar que eu estou doida, que não dá pra sentir o bebê mexer ainda, blá, blá, blá. Então, é segredo, tá?! rs